Você me pede um texto

04/05/2013 § 1 comentário

Você me pede um texto e tudo que eu consigo escrever é um punhado de palavras que pesco de um grande balão imaginário, no escuro, deitado ao seu lado, mirando o teto invisível e de braços cruzados. Serão palavras sem muito sentido, sem muita ordem, tentando formar frases quaisquer. Você me pede um texto e eu tento fazer algum sentido. Tento dizer algo que não sei bem, explicar o que é que me mantém acordado e o que me faz feliz. A dor não sai em palavras e a alegria não se mede em número de caracteres. Felicidade não existe, é formada de inúmeros pequenos momentos, quando há. Escrever não diminui o que sinto e não me ajuda a entender. Você me pede um texto. Eu me levanto do conforto e do calor que é deitar ao seu lado só para escrever. E escrevo, escrevo, mas não consigo dizer nada. Continuo te devendo um texto.

Anúncios

Espelho

14/09/2010 § 2 Comentários

Não é meu. Mas poderia ser. Palavra por palavra.

perdida. eu não sei lidar com isso. essa coisa de alguém gostar de mim. eu percebo algum sentimento mais forte e só penso em fugir. eu gosto de gostar dos outros. mas não gosto que gostem de mim. acho que não é que não gosto. é que eu tenho medo. medo de não me encaixar em todas as idealizações que vêm junto ao gostar. medo de não ser nem um pouquinho daquilo que o outro espera. medo da expectativa que o outro tem de mim. eu não sei lidar com isso. eu não sou capaz de aceitar um “eu gosto de você”. imagina então um “eu te amo”. toda vez, eu fujo.

Onde estou?

Você está navegando em publicações marcadas com você em Ato ou Efeito.

%d blogueiros gostam disto: